sábado, 21 de março de 2015

383 - O título adquirido

As pessoas não sabem; carecem de explicações. Eu não entendo e preciso que alguém me explique. Por amarem os homens padecem em carências. Talvez eu seja o mais carente dentre eles.

As pessoas desconfiam; muitos são os traidores. Um dia minhas palavras já traíram e até hoje meus olhos choram. As pessoas são simples; suas máscaras é que são complexas. Por isso sempre fui complicado; vivi encenando um teatro mascarado.

Pessoas vem e se vão; levam feridas na alma, a dor no coração. Acho que nunca dei atenção a dor dos meus amigos. Talvez olhando tanto para inimigos eu tenha deixado de ver o bem. Hoje ninguém mais sobrou em minha estrada. Um solitário na madrugada é o meu título adquirido.

As pessoas não sabem; carecem de explicações. Quanto mais eu que não entendi a vida! Desviei para muito longe, não há saída! Devo ir até o fim! O que será então de mim nessa estrada que selecionei? As vezes penso que assassinei uma parte de mim, mas percebo que uma outra então nasceu. Mas sei que eu vou me levantar e seguir em frente. De repente, talvez eu venha e me encontrar, ou eu venha até a notar aquilo que é o mais evidente:

A vida é mesmo assim... louca e surpreendente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog