terça-feira, 28 de outubro de 2014

379 - Dias nublados em um mundo sem amor (Jornal em Dia)

- A falta de amor é a pior de todas as pobrezas. (Madre Tereza de Calcutá).
O coração que desiste de amar torna-se cruel, daquele que só considera as nuvens no céu e despreza o brilho por além. Torna-se um refém de suas tristezas, de seu medo de viver. Não quer saber de sonho, de esperança, de alegria. Só existe dor, medo e agonia.
A vida é uma dolorosa estrada de tropeços, frustração, e decepção. Mas quer você queira ou não, terá de passar por ela. E o mundo não dará trela; irá quebrar você no meio. Você correrá para o escanteio clamando salvação. Certamente em vão ficaras prostrado e as lágrimas em teu rosto molhado lhe farão companhia. Assim virá a triste melodia, a qual irá se apaixonar. Sem perceber terás prazer em chorar. E grande buraco vais cavar para nele viver sozinho. De flor serás apenas o espinho; um espinho que antes era flor.
Dolorosa é a estrada, mas cego é o viajante. Um tolo amante que esqueceu que nos céus brilham as estrelas. Mesmo cego deveria percebê-las, pois o brilho toca a alma. Mas seu inferno não se acalma e ele converteu o seu divino em loucura. Apesar de desfilar fina postura, vomitou em sagrada mesa. Que pena! Que tristeza! Bastava olhar para o infinito. Um grito: Salvem-me! – Mas ninguém apareceu. O nosso amigo se esqueceu que o planeta é de bilhões. São tantas as questões, mas se importa apenas com a sua. E segue aos prantos pela rua como se este fosse o fim do mundo. E passa um dia, uma hora, um segundo; segue o pobre neste seu coma profundo, em sonhos vaidade. A verdade? Ele nunca soube o que é amar.
Em suas paixões ele se inspira: - Encenarei lindo amor em teatros de mentira. – Segue frio, agindo com a razão. Claro! Não tem mais coração. Perdeu-se em suas revoltas, afogou-se em frustração. Trocou suas esperanças por uma vida de ilusão. De dor, medo, revolta, inveja, libertismo, ganância, insatisfação, solidão, egoísmo, egocentrismo. Quão grande é o profundo deste abismo.
Os dias são nublados, é ruída a melodia. Os sorrisos do teu rosto viraram lendas de magia. Falta amor em sua vida. Assim sendo, falta-lhe tudo. Mas ninguém ele escuta; sua beleza é o seu escudo. Mesmo que um dia tenhas tudo, seguiras não tendo nada. A vida sem amor é como estrela apagada. Mas brilhe, brilhe, e brilhe! Tu poderias tanto assim brilhar. Pule, corra, e grite. Você é livre para cantar. Se amar não é possível tu sabes como ter ajuda. Embriague-se de amor e não mais em dor aguda.
Embriague-se de amor, embriague-se de amor, embriague-se de amor. Sem sentimento a vida é fria. Embriague-se de amor, descanse em alegria. Imagine que há um caminho, há um atalho, há uma saída. Imagine as possibilidades da vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog