segunda-feira, 15 de setembro de 2014

376 - O inferno e o paraíso

Ainda que devaneios das mais insanas imaginações se manifestassem, a ela não se compararia. Nem os mais excitantes mistérios da madrugada se comparariam. Sou um rascunho descrevendo rica obra.

Desde pequena porta seus bens; promissoras sementes que tornar-se-ão flores ao desabrochar em pétalas de fascínio. Quando menina desfila delicadeza em risos angelicais. Desenvolve seu brilho e assim não mais se cansa. Em paraísos, sua mudança. Uma nuvem de encanto permeia seu espirito.

E torna-se adolescente. Seus lábios começam a ser ungidos com o mel da sedução. Seus olhos estalam brasas de amor. Seu corpo emite paixão; um escarcéu de hormônios. Teus paraísos amadurecem em dores. O sangue perdido marca o início de seu criador ser divino, imaculado poder, o sagrado feminino.

E torna-se jovem. Seus lábios experimentados agora amaciam nossas fantasias. Seus olhos agora brilham perigosos convites. Seu corpo exala a desejo. Teus paraísos são entradas para um sonho; um delírio sem volta. Um perigoso infinito onde não há escolta. É apenas você e sua coragem.

E torna-se adulta. Seus lábios experientes despertam o calor. Seus olhos são portais para um mundo de loucuras. Seu corpo torna-se a mais perfeita obra do prazer existencial. Nos deliciamos em tão perfeitas maravilhas; entregamo-nos a tão perigosos caminhos. Perdemos o rumo em tão fatais armadilhas e aprendemos que não podemos ser sozinhos.

Ela é a bussola do homem, a orientação. É a derrota ou a salvação; anjos na Terra ou demônios do abismo. Nossa alegria e nosso egoísmo; um norte aos nossos passos. Ela tem os beijos e os abraços que restauram nossos sonhos. É entrada do caos, mas também a saída. Pode ser o monstro ou o presente de uma vida. A perfeita obra de Deus, a majestosa flor da existência. Do homem a sanidade ou a demência.

Uma eu escolhi; ela mudou a minha vida. Sarou minhas dores; o medo, a ferida. Escolhi uma morena, fina postura, perfume francês. Com ela vou sorrindo... deliciosa embriagues.

Mulher; o inferno e o paraíso. Talvez minha tristeza; talvez o meu sorriso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog