sábado, 20 de abril de 2013

360 - A benção que me falta


Acabaram-se meus poemas; fugiram-me os versos! Já não tenho mais razão para rimar! Talvez chorar,
chorar, e chorar; talvez gritar em meu imaginário mundo vazio. Quem será que viu meu céu azul anil tornar-se no crepúsculo do dia? Quem devolverá a fantasia que em toda a minha melodia brilhava tão forte? Como terei novamente  a sorte de viver horas de amor profundo,  esquecendo-me deste mundo, ouvindo apenas gemidos na escuridão? Será em vão o meu procurar? Pensando bem... O que eu quero encontrar?

Das namoradas que tive, nenhuma mais é minha amiga! Há quem diga que sou um homem complicado! Talvez meu eu apaixonado seja difícil de entender! Não sei dizer! Todos os relacionamentos que tive eu mesmo terminei sem temor no coração! Talvez eu queira a perfeição e por isso estou aonde estou! Não sei se fico, não sei se vou! Procuro ou fico na minha? Ahh, que situação! Hoje tem festa do peão, mas não quero nem saber! Me juntei a amigos, fui beber! E agora, o que fazer?

Não! Não serei pessimista! Aqui nesta Bragança Paulista tem de existir esta abençoada! Aquela espertinha, um tanto safada, meio carente; acima de tudo... Inteligente!

Ela pode sim existir! Já pode estar acontecendo!
Sim! Talvez ela esteja lendo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog