segunda-feira, 12 de novembro de 2012

348 - Omissão de Base Existencial – O “Vazio”


Omissão de Base Existencial: O inconsciente constantemente rastreia o fundamento do próprio existir e, em alguns casos, não encontra; com isso, dependendo dos fatores de apoio da pessoa, caso insuficientes, sinais de negatividade são enviados a todo o cérebro, levando o mesmo a um vagaroso estado depressivo; o que se entende como “vazio”.

Verificamos assim que a maioria das pessoas que dizem encontrar a “Cristo”, classificam-se sem este vazio, dizendo-se cheias de vida e esperança. Certamente verdade, pois, cientificamente falando, a crença em algo metafísico e superior gera no consciente uma segurança ímpar, a qual estabelece uma perfeita harmonia em todo o equilíbrio da razão, consequentemente do corpo. Outrossim, acreditar em “Deus” é um amplo benefício ao bem estar emocional, que religiosamente se da como “espiritual”, sendo assim “paz de espirito”.
Finalmente, uma palavra escrita no livro de Salmos, capítulo 125, anexo a Bíblia Sagrada, parece resumir toda esta tese de maneira simplificada:

“Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre.”

Apesar da imensa maioria dos religiosos ser constituída de hipócritas e ignorantes, a atitude deles em viver pela fé gera-lhes um estado constantemente saudável devido ao preenchimento deste “vazio” através da segurança da crença no Superior. Estabelece-se aqui, portanto, que a fé é algo conveniente e oportuno, afinal, a suprema realidade é intelectualmente inalcançável; portanto, o “Divino”, embora e certamente não sendo como se pensam os religiosos, existe; sendo que, “Religião” é apenas um meio do homem se achegar a este “Divino”, porque sua maneira correta e verdadeira ultrapassa imensamente o intelecto humano.


*Dedicado ao amigo Andriei Garbe Pires

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog