domingo, 29 de abril de 2012

331 - A síndrome do pânico


A síndrome do pânico é a forma como a depressão ataca; seu manifestar. Ocasiona-se devido ao rastreio que o inconsciente faz da base existencial do ser. Não temos noção do inconsciente, por isso ele tem esse nome, e nele estão armazenados traumas e dores. Estes males parecem inofensivos devido a não termos noção dos mesmos, porém, são os piores males que se pode ter, pois nos atacam e ficamos sem saber o que está nos acontecendo. Devido a esta questão, de não sabermos o que está nos acontecendo, mas só percebendo que algo está ruim, é que ocasiona-se a “Síndrome do pânico”.

Desta maneira, o que a pessoa que porta este mal deve ter em mente é que seu pânico está sendo gerado por traumas de seu inconsciente. Apenas esta aceitação já irá dar base ao cérebro para pausar a transferência de sinais ao seu todo, impedindo o hipocampo de enviar informações falsas de estresse ao coração, evitando seu acelerar, e com isso a hiper-atividade, a qual, unida com a desestabilidade do cérebro, gera tal síndrome.

Traumas ou estados semi-traumáticos são bombardeados pelo cérebro em sua tentativa de anular seus efeitos a fim deste manter a saúde no corpo humano. Porém, para esta ação, o cérebro, como em ditado popular, empurra tudo para debaixo do tapete, ou seja, joga para o inconsciente. Todavia, como somos seres racionais, de auto intelecto, nosso cérebro desenvolveu a habilidade de mapear a si mesmo constantemente; vasculhar informações sem motivo algum por entre a memória. Graças a esta habilidade que existem as ideias; o concluir espontâneo de alguma manobra acerca de algum assunto. Isto é um benefício do desenvolvimento humano, mas também um grande mal. Isto porque, devido a tal habilidade, o cérebro acidentalmente passa a verificar as informações traumáticas do inconsciente, as quais enviam sinal para o consciente, que por sua vez não interpreta corretamente (como se criasse uma falha no sistema) transformando tal lembrança traumática em reações corpóreas, como o acelerar do coração; o fato inicial da síndrome do pânico.

Entender como funciona tal problema, como dito acima, é o inicio do processo de cura! Ao saber de como funciona a síndrome, a pessoa com este mal poderá se aperceber do que está acontecendo consigo mesma quando o pânico lhe vier. Ela entenderá que, na realidade, é apenas seu inconsciente reagindo devido a uma situação mal resolvida em sua vida. Ao saber de tal, o cérebro se conterá quanto ao disparo de sinais falsos, pois uma base real e fidedigna do mal que está acontecendo ao corpo estará sendo criada no consciente. Isto, simbolicamente falando, se chama “paz interior”. Quando o cérebro perceber que tal coisa, a paz, está permeando a situação, cancelará toda reação maléfica, retornando o estado corpóreo ao saudável.

Finalmente, vemos que a cura está no entendimento da doença. A grande reposta está em nosso órgão principal, o cérebro; no inconsciente. Encare seus medos, encare suas dores. Saiba que nada do que existe deve abalar teu ser. Imagine as possibilidade da vida e assim tenha em mente que sempre haverá o novo! Sempre haverá um novo dia, um novo tempo. Basta esperar e a sua vida irá mudar! Não há razão para o pânico! A esperança... É a ultima que morre.


*Dedicado a Jessica Asato; aquela linda pessoa que meus olhos não se aperceberam.




Um comentário:

  1. Nem tenho palavras pra agradecer o post tão carinhoso! Obrigada por se importar, se preocupar e tentar me ajudar de uma forma ou de outra!

    Que outras pessoas possam conhecer o post, e juntos, vencer com esperança essa batalha!

    Beijos!

    ResponderExcluir

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog