sábado, 29 de outubro de 2011

228 - Um rascunho de evangelho

A grande maioria dos eclesiásticos desconhece a totalidade do livro que definitivamente formula a doutrina e os dogmas aos quais seus seguidores vem praticando, vivendo como aqueles que compram um complexo produto e o utilizam sem ler seu manual. Por não compreenderem o manuseio correto, por ridícula preguiça de ler, acabam assim apenas ouvindo a outrem a fim de obterem informações.

Logo, se o pastor for um cego espiritual, e existem milhares deles, as coisas serão como um cego guiando a outros cegos! Abro exceção, é claro, aos mais simples, os quais não compreendem as escrituras bíblicas por si mesmos e por isso necessitam de um guia, mas em contrapartida condeno os que portam entendimento, mas não o fazem por pensarem, até um tanto inconscientemente, que apenas estar na igreja já é tudo. Um erro estratosfericamente absurdo! Estar na igreja não é nada! Ressaltando em primeiro lugar que faz-se necessário que o mundo perca a visão deturpada e errônea que as pessoas tem sobre o conceito “igreja”! Quando se fala em tal logo se vem um prédio enorme onde na maioria das vezes se encontra uma cruz acima de uma torre e talvez uma coruja com o pescoço torto sobre tal. Jamais! Igreja não é prédio! Igreja não é nem a Casa de Deus assim como dizem alguns loucos pregadores da palavra! Casa de Deus é o termo bíblico usado a referir-se ao Templo Judaico! Igreja não pode de maneira alguma ser rotulada como tal, pois se trata de uma reunião de pessoas em favor de Deus (segundo análise do livro de Atos dos Apóstolos – Bíblia Sagrada).

Não obstante, apenas fazer parte de tal coisa nada se acrescenta. Faz-se necessário cada um agir conforme o seu dom! Cada membro deve se utilizar de seus talentos a fim de ajudar ou resgatar o próximo das dores de sua vida. Um cristão deveria acima de tudo, de acordo a própria filosofia em que se baseiam, amar o próximo assim como ele ama a si mesmo. Deveria se preocupar de verdade! Dar a cara para bater! Sofrer junto! Abrir os bolsos se for preciso! Cortar os pulsos! Isso sim seria amar de verdade! Porém, infelizmente, a grande maioria dos cristãos vem vivendo um rascunho do que realmente é o evangelho. Se pregam, o fazem por vanglória, mesmo nunca admitindo isso a si mesmos. Se cantam... A mesma história! Se tocam, se dançam, se evangelizam; tudo... Tudo é por si mesmos; para o bem-estar subjetivo, para findarem uma projeção de utilidade em âmbito existencial a fim de não tomarem noção de suas misérias.

Estas coisas digo a cerca da maioria! Restam, porém, e felizmente, alguns sinceros, guerreiros de honra, dignos de aplausos. A estes eu sempre tirarei o meu chapéu... Caso eu esteja o usando.


Trecho do meu livro: O DOCE DAS SOMBRAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog