terça-feira, 4 de outubro de 2011

215 - Solitário poeta num mundo sem amor

Sou sozinho;
melhor amigo de minha pessoa
Escrevo versos de amores,
as vezes escrevo versos a toa

Palavras são minhas flores
e com elas enfeito o mundo
Sou da noite, sou galante,
Sou fino, mas profundo

Rasgo minha alma
e me agonizo no mundo solidão
Teço sonhos em minhas fantasias;
escrevo minha própria canção

Me alimento de um sorriso,
de um suspiro, de uma dor
Sou um solitário poeta num mundo sem amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog