quinta-feira, 22 de setembro de 2011

212 - Anjo sem azas


Ai que saudades de um simples passado
De um templo nublado, sem cor, e sem som
Quando eu tinha o temor do pecado
E este mundo malvado me era tão bom!

Ai que vontade de mostrar pra Deus
Que o teu adeus foi meu grande sofrer
Revela pra mim os intentos teus
Eu clamo! Eu peço: Eu preciso saber

Mas se um mar... Vir me afogando nesta escuridão
Eu vou gritar! Carregue e me leve em teu coração
E se eu me afogar! O mundo verá que o amor vai morrer
O mundo ouvirá o que eu tenho a dizer:

Eu amo você (eu amo demais)!
Eu amo você (tu es minha paz)
Tu es o meu sonho, meu medo, minha dor
Meu anjo sem azas, tu es meu amor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog