segunda-feira, 5 de setembro de 2011

203 - Lembranças de uma vida iluminada


Eu vivia feliz dentre vocês! Eu sorria junto a vocês meus amigos, pensando estar em companhia de pessoas iluminadas, salvas de um suposto destino horrendo, escolhidas a viver uma vida de bençãos e alegrias. Foi difícil me assentar na cama, na escuridão de meu quarto, e finalmente perceber... Vocês vivem uma fantasia!

Eu fiquei anos insistindo em viver os sonhos de vocês! Eu buscava forças ao pensar que haviam pessoas que lutavam pela nossa causa, que amavam o próximo, que cuidavam deles, que se importavam! Diferente de vocês que só vivem por si mesmos e são incapazes de sair do conforto de suas reuniões e estender a mão aos necessitados. No entanto, eis que, depois de muito tempo, acabei assim, por acaso, encontrando estas tão sonhadas pessoas! E eram muitas! Fiquei até sem entender como eu nunca havia as notado! Eu pensei sinceramente ter encontrado a salvação de minhas convicções! A justificativa que vocês, mesmo tão ignorantes, estivessem com a razão. No entanto, o que parecia que me seria brilho, foi-me a mais densa escuridão!

Eu notei a mesma hipocrisia, a mesma carência, a mesma covardia! Parece-me que vocês são todos produtos defeituosos da mesma linhagem, os quais tomaram por base uma referencia metafisica a fim de encobrir a incapacidade geral subjetiva em cada um.

Mas porque, meu Deus? Porque as coisas não se resolveram a mim? Seria tão bom se tudo fosse tão simples assim como creem os hipócritas! Eu queria que o céu existisse junto ao anjos e querubins; assim o inferno também existiria junto aos demônios e potestades! Eu queria crer que aquilo que Adão e Eva provaram fora uma simples maça, e nunca ter compreendido que tal é um simbolo, o ato sexual! Eu queria ter sido inocente! Agora, pois, a mim, nem mesmo Adão e Eva podem ter existido! Certamente é mais um simbolo! Todos os escritos do livro negro e santo podem ser símbolos! Símbolos de uma verdade incompreensível a nós humanos, a qual se converteu em historia para que, indiretamente, andássemos conforme a realidade. Seria tão bom acreditar na simplicidade! Minha vida, porém, me conduziu até aqui! Até este ponto tão frio e solitário! Fui forçado por minha propria inteligencia a atravessar os parâmetros do sagrado e viajar pelas profundezas do oculto! Não houve quem pudesse me parar! Alguns tentaram, mas ninguém conseguiu silenciar o poder dentro de mim!

Talvez eu tenha chegado aonde não se pode chegar! Talvez eu tenha visto o que não se pode ver! Paulo de Tarso! Creio que você também percebeu estas coisas, mas mesmo assim, se fez do maior dentre os enganados, e alastrou o engano ao mundo inteiro de maneira genial! Mas este teu engano é doce! É como voar na imensidão do céu azul, de olhos fechados, sem nunca parar! E isto você também percebeu e viu que era bom!

Talvez o engano não seja engano! Talvez apernas um atalho para o complexo indecifrável! Talvez um meio camuflado de dogmas, o qual origina a conexão com o inexplicável ser divino! Se assim for, e certamente o é, me alegro, pois eis que nunca caminhei erroneamente!

De uma forma ou de outra, eu acertei! E por isso... Estou feliz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog