quarta-feira, 20 de julho de 2011

198 - A bruxa de Nevada (Trechos especiais)

*Trechos especiais do meu livro A BRUXA DE NEVADA.

- Você tem dezesseis anos? Como? Parece que você é mais velha do que eu!
- Nossa! Obrigado por chamar-me de idosa!
- Não! Não é isso! Mas... Você não parece ter dezesseis, entende?
- Então confirmas que sou uma idosa? Thomas! Muito obrigada viu!
- Não! - desajeitou-se - Bom! Deixa pra lá! - disse enquanto ela caia na gargalhada ao ver seu estado - Mas diga! Você tem algum sonho? Algum plano?
- Claro! Pretendo dominar o mundo!
Os dois caíram na gargalhada!
- Então é por isso que você veio a Mill Valley?
- Sim! Procuro, pois, um ajudante!
Esforçavam-se para segurar o riso; ele seguiu:
- Olha! Que bom pra você! Parece que você encontrou!

E foi alí... Nas salgadas águas do oceano... No afrodisíaco silêncio do mar... Sem desfazerem o apertado abraço que os unia... Que obtiveram a tão repentina certeza que estavam perdidamente apaixonados.

- Então que palavra eu uso para descrever você? Será que eu poderia usar “perfeita”? - pensou - Talvez não porque ainda falta eu te conhecer um pouco. Será que eu poderia usar “maravilhosa”? - pensou novamente - Talvez! Mas isso não seria o suficiente para expressar tudo o que estou vendo agora. - Thomas Jackson

- Estou muito bravo com a senhorita! Muito! Você é cheia de ficar aborrecida! Frescurinhas! E o pior... Você é uma ladra!
- Como assim? O que roubei eu? Nunca!
- Roubou sim! Roubou meu coração. - Thomas Jackson

Uma floresta... Um amor que vai nascendo! Ainda criança! Imaturo! Seguia, pois, crescendo! Lembranças em sussurros... Retratadas pela aura florestal! O Cascade Park presenciava... Um amor sem igual! As primícias de um romance!

- Contemples minha flor quão grande maravilha por aqui encontramos! - dizia o senhor para sua esposa num tom maduro, erudito, e muitíssimo simpático - O bravo fervor da juventude desvendando os saborosos mistérios das profundezas do amor. Dois pequenos e inocentes pássaros tentando juntos dar um salto no abismo do desconhecido para finalmente voarem rumo a horizontes mais felizes. Horizonte este aonde o sol brilhará mais forte! Aonde o calor virá de maneira mais simpática com seu abraço! Bem diferente deste delicado frio que permeia a mórbida solidão desta floresta. - August Krevelaris

- Meu anjo! - pondo uma das mãos em seu rosto - Responda apenas uma coisa! Você tem mesmo a certeza de que quer me ajudar a dominar o mundo?
- Disso não sei! Não sei se conseguiremos dominar este mundo! Mas esteja certo que ao menos o meu coração tu já dominastes.
......................................................................!
- Mas se eu dominei o seu coração... Eu já dominei o mundo! - Thomas Jackson

- E como poderias esquecer-me de tão formoso som? Eis que tal melodia desperta os cidadãos de minhas memórias com suaves assovios! Tais assovios que se alastram para as profundezas de meu coração, o qual se alegra numa frequência já antes vivida, num tempo onde minhas pernas eram muito mais fortes e meus olhos lhe enxergavam com muito mais clareza, ó, tão amada varoa minha! - August Krevelaris

A falta de provar daquele doce já lhe esfomeava de ansiedade! O esfregar das mãos de maneira intensa e vã nos lençóis da cama eram um reflexo das torturas da noite, as quais apenas iam ensaiando seus aguilhões.

Uma essência irresistível! Uma inocência apaixonante! Um jeito doce e incrível! Uma paixão embriagante.

- Aconselho a todos que não façam de seus olhos máquinas fotográficas, as quais captam na memória a perfeita forma de algumas palavras descritas num livro! Muito mais importante do que simplesmente decorar é entender a matéria! Que desta forma vocês não sejam pegos como desprovidos de inteligência, os quais por não saberem pensar, utilizam-se de suas habilidades de memorização! Vivendo assim, portados de uma máscara de sabedoria. - Prof.Rostock

Se o fantástico brilhar destas auroras cegarem-me a visão, saiba: Serão os teus olhos que cegos ficarão! Se esta geada vir a congelar o meu corpo, saiba: Ficará o teu corpo congelado! Se a morte a mim vier, uma parte de ti juntamente morrerá; e se eu viver, então, para sempre juntos viveremos. Viverei, pois quero-te novamente; mas se meus olhos fecharem-se para este mundo, encerra-se minha vida para este tão lindo sonho. És o meu sonho! Sonho meu! Sonho em que jamais quero acordar! - Michelly Princeton

Como um vulcão a esperança vem se ardendo em mim, pois já venho caminhando com isto e, em algumas madrugadas, assim como esta a qual lhe escrevo, ele entra em erupção, explodindo em tristes chamas lacrimejantes que queimam a saudades, fervendo-se como um mel num transbordar adocicado, o qual incendeia todo o meu corpo, já fragilizado... Fervo-me em lágrimas por ti! Enfraqueço-me de tantas saudades! - Michelly Princeton

- Não! Eu não estou aqui! Eu não estou aqui, minha bela prima! Como podes tu dizer-me tal? Quem sou eu? Porque aqui estou? Eu nada sou sem ela! E se ela não mais existe, eis que também não mais existo eu! Ora, ora! Ela ainda existe, ou ela não existe mais? Ainda vivo eu, ou já não vivo mais? Diga-me, bela Gabriella! Diga-me apenas! Olhas tu para um defunto? Diga minha bela Gabriella! Tu danças com um defunto? Pois se o doce supremo de minha vida não dança mais em meus sonhos, eis que a melodia de minhas alegrias se acabou e eu sou o mais solitários dos homens! Hã? Diga-me minha bela! Vive minha Michelly, ou será que já morreu? As noites não me dizem! a canção adormeceu! Vive minha Michelly, ou já foi ao paraíso? Danados foram os anjos que não trouxeram-me o aviso! Eu preciso! Eu Preciso! Preciso encontrar o meu amor! Seja agora ou quando for! Ahh! Eu preciso encontrá-la! Beijá-la! Tocá-la! Ouvir a tua voz! o olhar que me fascina! Preciso do meu doce... Do meu doce de menina! - Thomas Jackson

- Minha querida! Se tivesses deixados este mundo, certamente teria eu morrido! Estando agora ambos nas alturas do paraíso, dançando abraçados, as mais perfeitas canções angelicais! - Thomas Jackson

- Não resista minha amada! Teus princípios podem lhe prender, mas o desejo em teu íntimo clama o contrário. Ao menos por esta noite permita-se a ousadia! Esqueça vossa razão! Esqueça o tempo! Não existe o mundo! Existe apenas eu e você! Todos faleceram e em breve juntamente morreremos! Interprete este teatro! Viva este sonho! Seja minha... Totalmente minha! - Thomas Jackson

Nada vai mudar o amor que tenho por ti! Nem o tempo, nem a vida, e nem a morte! Não importa aonde fores! Estarás sempre em meu coração! Tu és imortal dentro de mim! - Thomas Jackson

- Não temos mais bebidas, tudo o que temos são apenas alguns minutos! Desculpe meu anjo, mas minha alma já chora de saudades! - Thomas Jackson

Ele sabia, e assim era, que não mais a amava, porém, muitas vezes tinha saudades daqueles beijos... Do seu sabor de mulher!

- Como podes tu julgar-te assim tão negativamente? Porventura matastes um anjo para ficares assim tão abatido?
  - Matar... Não matei! - pegou em suas mãos - Tu ainda vives! - Thomas Jackson

O qual nos ensina a pregarmos apenas quando detectarmos quebrantamento e abertura do alvo em questão, manifestando na pessoa o verdadeiro “amor” por Deus e não explorando sua carência a fim de fazer do Grande Pai uma projeção de refúgio das dores deste mundo, o que infelizmente é a situação de muitos aloprados pregadores. - Michelly Princeton

Talvez a morte fosse a saída de toda aquela tristeza. Ele não tinha certeza, mas talvez, se morto... Partisse ao encontro dela! Aquele fortes ventos... Aquele ar puro... Aquele frio! Juntaram-se a sua embriaguez e vazio, e lhe trouxeram a coragem! Seria aquele o fim da viajem! Uma fuga... Uma saída! Seria aquele... O fim de sua vida.

Ela se derretia de desejos enquanto suas mãos deslizavam sobre a parede. Seu corpo fervia por dentro segundo sua paixão e já começava a esquentar-se por fora segundo o calor do local. Seus reflexos alterados, seu corpo fragilizado... Tudo era ainda mais intenso! Os toques dele pareciam penetrar todo o seu intimo! Suas belas palavras pareciam uma canção que a tocava vagarosamente por entre a amena escuridão, que se misturavam as românticas músicas que vinham ali de perto. A textura de sua pele exalava o calor único das garotas de Nevada! As belas curvas lácteas sobre seu colar enlouquecia o corpo já suado do garoto, atiçando violentamente seus mais íntimos instintos.

*Você pode ver mais sobre este livro e adquiri-lo pelo site da editora clicando neste: http://clubedeautores.com.br/book/48706--A_Bruxa_de_Nevada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog