quarta-feira, 29 de junho de 2011

194 - Coração de Estudante (Trechos especiais)

*Trechos especiais do meu livro Coração de Estudante:

- Me poupe de seus dilemas melancólicos e de suas conclusões imaturas provindas da inexperiência de tua juventude minha cara Klinkerfuss!

Em silêncio, apenas se abraçavam enquanto a tempestade ia os molhando. Nem ligavam para a chuva! Um prazeroso e único calor os envolvia, uma atmosfera apaixonante os enlaçava um ao outro. Mais ninguém se encontrava pelo campus... Apenas eles e a tempestade! Não disseram palavra alguma... Apenas se abraçavam... Deliciavam-se em afagos de um para o outro... O intimo de ambos fervia a desejo... Um abraço! Um refúgio! Um escape da solidão! O despertar de uma doce e inesquecível paixão. Desejavam que aquele abraço nunca chegasse ao fim! Era apenas a tempestade e eles; apenas eles e a tempestade!

Eis que sobrevinha-lhe grande impasse! Tal coisa denunciara a veracidade dos sentimentos da garota! Mas talvez já fosse tarde... Um novo mundo havia se descortinado para ele naquele dia! E este mesmo mundo parecia brilhar tanto! Um mundo em que ele nunca antes pôde viver! Um doce que ele jamais havia provado...

Finalmente saíram para a varanda, mas se surpreenderam com um detalhe! Havia uma fileira de velas pelo chão envolvendo todo aquele lado da mesma! Espantado, John seguira em frente enquanto a garota o seguia. Seguiram-nas até chegarem a parte sul da varanda, mas ao dobrarem o corredor da mesma... Ai, sim! Foram surpreendidos novamente!

O mesmo semblante das amargas revoltas dos anos anteriores já começavam a se formar em seu rosto. O doce do colégio já parecia salgar suas fantasias. O brilho das estrelas de seus sonhos parecia ofuscar-se rente a negrura de seus pesadelos. Algo pequeno a quem ouvisse, mas para ele... Uma enorme decepção!

- Se apenas você me permitir ficar te olhando, farei apenas isso durante toda essa madrugada!

Naquela penumbra, por entre as águas... Ela o abraçou, pressionando seu corpo ao dele... Sentiram o calor um do outro! Ele a encarou... Comtemplando aqueles lindos olhos novamente... Aquele rosto; aqueles belos cabelos molhados, aquele anjo de delícias! Assim permaneceram por alguns segundos, em flertes desejosos, colados um ao outro...

Os pesadelos do passado convertiam-se nos sonhos do agora!

Inevitavelmente, o novato já ia projetando naquele ousado garoto os pesadelos de seu passado. Pesadelos adormecidos nas sombras de seu inconsciente, os quais agora, iluminavam-se à desejar o despertar do sono das tristezas de seu conformismo.

A lendária garota desfilava aos arredores da piscina enquanto as águas escorriam prazerosamente por sua pele macia, denunciando as perigosas curvas das mulheres de sua família. As mesmas águas que deslizavam em seu rosto! Seu tão perfeito rosto, o qual abrigava talvez um dos olhos mais lindos de toda a Califórnia! Esmeraldas verdes que brilhavam à sedução! Um olhar que inspirava loucuras! Poderosos cabelos lisos e dourados! De longe... A menina mais desejada de toda a cidade!

O suave barulho do gotejar das águas, o aconchegante vapor por entre as paredes, o doce cheiro do perfume de sabonetes. A água escorria pela nudez de seu corpo todo molhado, sentada a beira da parede. Em seu rosto havia uma fusão das águas do banho com as lágrimas de suas dores... Ela estava arrasada! Desiludida! Só conseguia chorar, e chorar! Estava sendo torturada pelas dores da ilusão... Pobre coração!

Sobre a aconchegante escuridão do quarto ele ainda podia notar o belo acinzentado daqueles olhos. Toques e carícias, beijos fogosos sobre o lençol daquela cama. O quarto estava perfumado! Ela havia ligado o som... Músicas românticas! Lá fora... Ninguém podia ouvi-los! Deitou-se sobre ela... Encarou aqueles olhos na suave penumbra! Respiração ofegante, a voz da garota estava trêmula... Seus corpos se esquentaram! No chão... Suas roupas iam caindo...

Ela deu seu mais lindo sorriso... Maravilhada! Aproximou-se e ficou tão próxima do garoto que o mesmo quase fechara os olhos! Frente a frente, a centímetros de distância, era possível sentir o calor da respiração um do outro a qual oscilava devido à tensão da proximidade. Quase tocou os lábios da mesma, roçando seu nariz com o dela, pousando os lábios levemente em seu pescoço... Pegou em sua cintura, juntando ainda mais seus corpos, quando ela parecera até ter sussurrado o que sentiu. Levou os lábios ao seu rosto, e cumpriu o incontrolável desejo de ambos... Finalmente se beijaram!

Acariciavam-se em águas rasas... Na escuridão, somente o brilhar das estrelas e o mel do luar os acompanhava no delírio de suas solidões. Achavam-se sozinhos... Só ele e ela, só ela e ele; os dois juntos, e agora... Apenas um!

Assim que iam chegando ao outro lado do riacho, já era possível avistar um ponto iluminado escondido por entre as rochas onde caiam outras águas. Era a já famosa caverna, enfeitada com arranjos floridos. Pétalas cobriam quase todos os lugares, o que incluía até um colchão de casal! Candelabros ficavam em volta do mesmo, suportando as grossas velas que iluminavam magicamente. O alto som da queda das águas que vinha bem por de cima fora automaticamente abafado pela romântica canção que começara a tocar. Ela já estava fascinada por tudo aquilo quando notou o agradabilíssimo perfume do local. Era o mesmo do garoto, porém, muito mais intenso! E isso a colocava em chamas! Estranho para ela... Seu corpo ia se enlouquecendo!

Havia sido tão triste a maneira de como tudo terminara... Uma vontade de falar com aquele anjo ardia-se dentro dele ao lembrar seu patético silêncio naquele dia frio, quando tudo chegara ao fim. Ela parecia ainda esperá-lo naquele mesmo lugar... Parecia ainda estar chorando em meio aqueles ventos... Maravilhosa em seu olhar único! O mundo parava de girar; quieto e sombrio. De alguma maneira parecia que ela nunca houvera saído de lá! Agora, pois, admitia algo a si mesmo, o qual desde o princípio escondera... Ela ainda fazia parte de sua vida! Ela sempre esteve em seu coração!

Havia parado de escrever coisas sobre o amor, pois havia resolvido apenas vive-los.

Por todos os lados era possível se ver camisetas assinadas, rostos pintados de futuros universitários, alunos com farinha na cabeça, jovens com os olhos vermelhos de tanto chorar. Eram os últimos suspiros das inesquecíveis alegrias dos tempos colegiais.

Que alegria pode existir em alguém que afoga os outros na ilusão de um romance? Que bem pode haver numa pessoa que só faz as coisas para exaltar a si mesma, conquistando assim uma glória cada vez maior? Me respondam! Do que eu sou merecedor?

- Caminhei meses em passos errantes! Caminhei sonhando, sem saber para onde ir! Caminhei como um tolo, pois tudo o que eu precisava sempre esteve por perto... E eu estou certo de que era você!

Confira este livro e adquira em: http://clubedeautores.com.br/book/47616--Coracao_de_Estudante

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog