domingo, 22 de maio de 2011

182 - Mineira



De vestidos negros, assim eu te encontrei
Naquele fim de ano onde eu me apaixonei
Fomos caminhando; os jovens a dançar
Te levei as grades para lá me declarar:

Saiba eu te amo! Com você quero ficar
Nesta noite em fim de ano eu preciso lhe beijar
Sou só teu amigo, mas eu quero muito mais
Eu desejo estar contigo, pois você é minha paz

Mineira...
Primeira garota que amei
Mulher que desejei

Mineira...
Primeira paixão que eternizou
A mulher que me salvou
Foi você, mineira...
Que minha vida transformou

Mas eu te perdi!
Eis que agora, um abismo separa a gente
Mas mesmo assim, minha mineira:
Eu te amo eternamente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog