domingo, 8 de maio de 2011

161 - Lua de mel (Flores Mortas no Jardim)


Uma maresia de amor envolveu toda a cidade
A verdade que restou foi a paixão
O luar sobre a estrada...
Sobre os caminhos da vontade
Brilham e enlouquecem meu pobre coração

O mel que derramei em tua boca...
Fora descendo sobre tua pele toda nua
Com minha boca te provei e senti...
Conheci então o brilho da tua lua

Lua de mel! Tece a paixão
Quero beber teu suor enlouquecido
Lua de mel! Bate forte o coração
Ouço teu gemer em meus ouvidos

Grite nesta nossa escuridão
Cruze as tuas pernas sobre mim
Delire e perca o fio de tua razão
A noite ainda não chegou ao fim

Vem! Tentação!
Fique, pois, assim!



*Poema integrante do livro "Flores Mortas no Jardim" - Adrian Mcoy


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog