domingo, 8 de maio de 2011

155 - Beijar-te novamente (Flores Mortas no Jardim)


Com saudades... Eu ando pela rua
Diante ao brilho da lua caminha a minha paixão!
Forte! Eu vou contando com a sorte
Não querendo, pois, que a morte
Pare meu coração!

Quem são aqueles que prenderam meu amor?
Como ousariam prender minha criança?
Somos unidos pela força de uma dor
Consagrados no poder de uma aliança.

Como dança a princesa nos bailes do castelo
Dança ela em meu coração! Tão frio... Tão singelo
Vejas como é belo este meu amor!

Amor! Essa dor! Não importa aonde for
O mesmo calor me matará!
Paixão! Solidão! Acho que sei pra onde vão
Elas vêm me procurar!

Porque andas miserável pela rua?
Ó brilho da lua em meu coração
Porque andas miserável pela vida?
Garota atrevida! Minha paixão!
Porque andas miserável na madrugada?
Ó garota amada! Firmeza de meu chão
Meu chão! Minha paixão
Porque andas miserável meu nobre coração?

És como a lua em minha escuridão?
És o meu céu? Estrela cadente?
Vejas como perdi minha razão
Vejas como delira, pois, minha mente

Tanto lhe amo que lhe projeto para mim
Perfeita e envolvente

Projeto o desejo de encontrar-te pela rua
E assim... Beijar-te novamente.

De repente... E intensamente!
Beijar-te novamente!


*Poema integrante do livro "Flores Mortas no Jardim" - Adrian Mcoy


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog