domingo, 8 de maio de 2011

151 - Estrelinhas (Flores Mortas no Jardim)


Maravilhoso e incrível
Indescritível é o meu amor.
Paixão que sufoca e me enlouquece
Minha razão carece...
De caminhar com esta dor.

Céu acinzentado de uma garoa fina
Ao caminhar lembro minha menina
Cantando de mãos cruzadas
Lembro o seu olhar caramelado
Do teu corpo iluminado...
Sob as campinas estreladas.

Estrelas que brilhavam!
Que iluminavam
Estrelas que você sempre poderá comtemplar
Queria ser estas estrelas...
Para em ti poder brilhar!

Brilhem estrelas! Brilhem estrelinhas
Brilhem forte nas campinas... Ilumina o meu amor!
Brilhem estrelas! Brilhem estrelinhas
Brilhem intenso, brilhem fraco... Ou seja, como for!
Apenas brilhem, por favor!

Brilhem estrelas! Brilhem estrelinhas
Brilhem nos meus sonhos... Trazendo-a para mim!
Brilhem estrelas! Brilhem estrelinhas
Só por uma noite eu queria... Que tudo fosse assim!

Brilhem estrelas! Eu quero-a de volta
Brilhem estrelas! Ao menos quero ouvi-la!
Brilhem estrelinhas! Na dor dessa revolta
Eu preciso-a de volta! Eu preciso, em mim, senti-la!

Brilhem! Brilhem estrelinhas
Brilhem eu meu eu doente!
Brilhem estrelinhas! Brilhem sobre a gente!
Assim, de repente... Eu peço novamente
Brilhem sobre a gente!


*Poema integrante do livro "Flores Mortas no Jardim" - Adrian Mcoy


Um comentário:

  1. Esse poema de uma maneira simples descreve o meu ser, o meu querer principalmente com essas palavras:
    "Brilhem estrelas! Brilhem estrelinhas
    Brilhem nos meus sonhos... Trazendo-a para mim!
    Brilhem estrelas! Brilhem estrelinhas
    Só por uma noite eu queria... Que tudo fosse assim!"

    Simplesmente lindo, sou viciada em poemas e esse vou decorar!!!

    Parabéns, beijos.

    ResponderExcluir

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog