terça-feira, 3 de maio de 2011

128 - Lágrimas finais (A bruxa de Nevada)


- Deeeeeeeusss dos cééuusss! Porque vejo eu apenas estrelas de luz branca neste céu esplendoroso? Respooonda Deeusss! Porque não vejo mais a estrela que brilhava seu brilho arrochado em minha vida? Porqueee? Porque com Tua mão direita deste-me a perfeita relíquia dos céus, mas com a esquerda tomaste-a de mim? Inféérnooo!

Ajoelhou-se, soluçando:

 - Eis que conheci o perfume dos anjos! Como viverei agora apenas com o odor das mulheres? Eis que dentre a luz do paraíso eu habitava! Como poderei agora prosseguir na escuridão deste mundo? Raaaioos! Inféérno! Meefistóofeles! Nãaaaaooo!

Deitou-se:

 - Quero novamente meu sorriso de criança! - em cansada voz - Quero o anjo que iluminou minha viiidaaa! - levantou-se - Estrelas! Digam-me! Onde está o meu amor? Não importa onde ela esteja! Eu irei procurá-la! Pois que o céu, Que o condado, E que toda a Califórnia saiba que hoje... Não apenas cessara o brilho de Mill Valley, como também se apagara... A luz em minha vida.



*Fragmento do Cap.40 (Final) do livro "A Bruxa de Nevada" - Adrian Mcoy




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog