domingo, 1 de maio de 2011

123 - Um romântico desesperado (A bruxa de Nevada)


- Não! Eu não estou aqui! - sorrindo em forjada alegria, enquanto se levantava - Eu não estou aqui, minha bela prima! Como podes tu dizer-me tal? Quem sou eu? Porque aqui estou? - começou a ir para o começo do cais onde ela estava - Eu nada sou sem ela! E se ela não mais existe, eis que também não mais existo eu! Ora, ora! - levantou os braços e riu - Ela ainda existe, ou ela não existe mais? Ainda vivo eu, ou já não vivo mais? Diga-me, bela Gabriella! Diga-me apenas! Olhas tu para um defunto? - finalmente pegou as mãos dela e se juntou a mesma. Começou a andar de lado com a garota como quem dançasse! Ela estava assustada - Diga minha bela Gabriella! Tu danças com um defunto? Pois se o doce supremo de minha vida não dança mais em meus sonhos, eis que a melodia de minhas alegrias se acabaram e eu sou o mais solitários dos homens! Hã? Diga-me minha bela!

Ele parou bruscamente, a encarando há um tris de seu rosto. Já estavam na base final do cais, quando em seguida, ele desceu as mãos para a cintura da garota e começou a dançar com ela em rodopios.

- Vive minha Michelly, ou será que já morreu? As noites não me dizem! a canção adormeceu! Vive minha Michelly, ou já foi ao paraíso? Danados foram os anjos que não trouxeram-me o aviso! Eu preciso! Eu Preciso! Preciso encontrar o meu amor! Seja agora ou quando for! Ahh! Eu preciso encontrá-la! Beijá-la! Tocá-la! Ouvir a tua voz! o olhar que me fascina! Preciso do meu doce... Do meu doce de menina!


*Fragmento do Cap.23 do livro "A bruxa de Nevada" - Adrian Mcoy




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog