quarta-feira, 20 de abril de 2011

106 - O flechar de um cupido




O sol nasce num lugar
Que esvazia o meu olhar!
A canção morre de repente,
Calando-se em minha frente!
O frio surra meu peito
Que me tira a ilusão do perfeito!
Estou engasgada na dor, 
Agonizando esse amor!

Vem sem pressa, destemido
Impeça o flechar de um cupido
Vem tranqüilo, vem sem medo
Compartilhe o teu segredo

Guia-me contigo, vem pra minha vida
Mostra-me um lugar, mostra-me a saída
Se eu não tivesse coração isso não havia acontecido
Como é grande a dor do flechar de um cupido




*Poema de Danielle Staford, do livro "Colegiais" de Adrian Mcoy.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog