quarta-feira, 13 de abril de 2011

099 - Os prismas da realidade


A realidade na verdade não passa de um conceito subjetivo, o qual, por assim sendo, é o instrumento que um indivíduo se utiliza para findar uma razão a sua existência, e assim, estabelecer parâmetros pré-formulados a fim de fundamentarem os dogmas que sustentam tal assunto.

Cada ser cria em si mesmo a sua própria realidade! Para alguns o maravilhoso é o azul, já para outros na verdade é o amarelo! Tudo depende da formação psicológica de cada ser, os quais, sem saberem, são escravos da escuridão de seus próprios inconscientes, que de tão poderoso e astuto, cria no ser a ilusão de que este age por si mesmo, em liberdade, e que jamais é controlado pelas sombras de sua própria psique.

Logo, a preocupação quanto ao desconfiar de sua própria loucura vem a ser uma das maiores tolices, pois, se analisarmos cruamente, loucura não existe! O que existe, de fato, é uma percepção diferenciada (da totalidade populacional) da realidade em si! Ou seja, alguns encaram nossos pesadelos como prazeres, pois para eles as nossas sombras podem ser luz, assim como a nossa luz para estes podem ser sombras!

Tal coisa, é claro, vem a ser tachada como absurdo, mas isto acontece simplesmente pelo pré-conceito fundamentado em todo ser, o qual, por viver a vida inteira dentro de um engessado parâmetro social, encara tudo aquilo que se diferencia disto como “loucura”! Logo, a loucura nada mais é do que a ignorância de um limitado intelecto, o qual, por não compreender tal compreensão de realidade, tacha tal coisa como errônea e deficiente. Finalmente, se você está vendo e vivendo em um mundo mágico é porque esta agora é a sua realidade, e é somente com esta que você deve se preocupar, pois a sua vida...
É você quem faz!


*Fragmento da tese de Katsura Sakurai, do livro "Kadabra" de Adrian Mcoy.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog