quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

90 - Ontem, hoje, e sempre

Aquele belo romance que aconteceu no vilarejo
Tornou-se o desejo de toda a mocidade
As pessoas se encontravam na pracinha
E ficando de gracinha os homens caminhavam por lá

Ah! Eu tenho saudades
Saudades desse amor desconhecido
Estranhas saudades esta
Pois ainda eu nem tinha nascido!

Queria ter vivido os amores do passado
Na simplicidade de um cortejar!
Queria dobrar meus joelhos a uma dama
E pedir aos seus pais para namorar

Porém, meu tempo não é mais de luz
Aliás, é tudo escuro!
Viverei, pois, o romance
Mas o romance do futuro

As moças já são bem diferentes
Ricas em ousadia!
Ligeiras em nos mostrar
Os bons caminhos da alegria

Eu, porém, não reclamo!
Isso já é algo natural!
Não só eu, mas todos acham
O amor essencial

Não importa o tempo que se passar
Nem para onde o homem for
Nunca da moda sairá
As maravilhas do amor

Ele é o perfume da vida; as carícias do destino
É a projeção real... Dos meus sonhos de menino

Oh, amor! És essencial por que és perfeito
És inexplicável! És tão diferente!
Ontem, hoje, e sempre!
Tu serás eternamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog