sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

086 - Um admirador milenar

Talvez nao tenhas a genialidade que ilumina o mundo
Mas tens a malícia que encanta meu coração.
Talvez não consigas adentrar assim, tão profundo
Nos mistérios de minha eterna escuridão

Talvez você não saiba, mas por toda a sua vida eu te observei
Estive lá quando você chorou de ódio e rancor
Na mesma noite eu te beijei
Enfim; fizemos amor

Talvez a sua dor não seja minha culpa
A nada eu te obriguei! Eu apenas... Ali estava!
E você pediu-me até desculpas
Dizendo que me amava.

A milénios observo a tua raça
A dor de um ser; a paixão em uma pessoa
Onde estaria, pois, a graça
De seguir vivendo a toa?

Percebes? Nem sabes me responder!
Nem ao menos tens uma razão para viver!
Hoje você não tem... Mas antes você tinha!
E no final de tudo... A culpa ainda é minha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog