domingo, 19 de dezembro de 2010

063 - Teus cinzas perfeitos


Quanto tempo eu amei você, mas você não me amou...
Não, não me amou!
Quanto tempo eu desejei você, mas a fé nos separou...
Conseguiu nos separar!

Quantas vezes nas masmorras eu chorei; chorando eu te imaginei...
Você viveu dentro de mim
Quantas vezes visitei a escuridão; de longe vi tua perfeição...
Eu quis tanto te abraçar!

Quanto tempo; quanta coisa pra falar!
Mas você não quis... Não quis me escutar!
Quanto tempo; quanto amor para te dar!
Mas você não quis... Você não quis me amar!

Agora... Apenas... Lembranças... São o que restou!
Agora... Teus olhos... Fecharam... Você me deixou!
Agora... Teus cinzas... Perfeitos... Não vão mais me ver!
Agora... Não sei como eu vou te esquecer! Não! Eu não sei!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog