domingo, 12 de dezembro de 2010

057 - Estrela amada

Nesta madrugada peguei-me a pensar:
- E se "ela" não existir?
Absurdo! Tal pensamento não deveria ocorrer-me!
Mas relevemos esta verdade: E se ela não existir?

Se ela não existir meus sonhos nunca existiram! Os poemas que escrevo sempre foram frutos de fantasia, e esta mesma fantasia escreveu Romances baseados eu sua própria ilusão!
Ah... Não! Isto seria tão triste!

Se ela não existir meu conto de fadas sempre fora uma farsa! Minha princesa sempre foi um fantasma o qual assombrava o castelo de minha vida em suas doces sombras de paixão.
Ah... Não! Isto seria tão triste!

Se ela não existir o império romântico que fascinou os homens sempre foi composto de assombrações! Seres fantasmagóricos que criavam a ilusão de um fantástico monumento, sendo que na verdade, ali... Nunca ouve nada! Somente a escuridão!
Ah... Não! Isto seria tão triste!

Onde estaria a mulher que eu amaria de verdade? Minha menina linda, doce, inteligente?
Procurei pelas ruas da cidade! Perguntei a quem veio em minha frente:
- Hey! Vistes o amor de minha vida?
E responderam-me:
- Não! Apenas uma estrela cadente!

Demente! Que resposta mais insana?
Mas seria essa estrela, a estrela que me ama?
Sim! Talvez até hoje eu tenha a amado, mesmo sem nunca percebe-la!
Todo o amor que existe em mim...
Pertencia a uma estrela!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog