sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

052 - Perfume de mulher (Flores Mortas no Jardim)


Nos mais frios campos que caminhei em minha vida
Aqueceste-me com o calor de tua doce paixão
Por maior que fossem minhas dores e feridas
Entreguei-te, pois, meu coração!

Perfeição! Perfeição! Ó, perfeita perfeição!
A mais perfeita obra de toda a criação
Meu calor! Penoso amor!
Ó, minha dolorosa dor!
Mesmo com espinhos...
És a minha flor!

Flor da noite! Vem! Se acostume!
A cantar para mim no brilhar dos vaga-lumes
Como é teu costume, faz de mim o que quiser!
Dai-me o teu perfume! O perfume de mulher.




*Poema integrante do livro "Flores Mortas no Jardim" - Adrian Mcoy


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog