sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

048 - Na calda de um cometa (Flores Mortas no Jardim)



A cada hora! A cada segundo!
A cada gesto de bondade!
Eu tento compreender este mundo
e a sua vã realidade
A cada vida que vai nascendo!
A cada noite a se acabar
Eis que vou percebendo:
O mundo não é o meu lugar

Não entendo tanta dor! Tanta tristeza!
Ricos em mansões vivendo na pobreza.
Eu não entendo um ateu!
Ele jaz sozinho!
Pobre criança carente
precisando de carinho

A toda hora eu desejo pegar na calda de um cometa
Voar para bem longe! Fugir deste planeta!

Estou vendo que este mundo não me entende!
Para que compreender o mundo
Se ele não me compreende?

*Poema integrante do livro "Flores Mortas no Jardim" - Adrian Mcoy


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog