quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

038 - Ser ou não ser?



Sorria meu doce
Meu favo de mel!
Teu sorriso brilha em mim
Como as estrelas brilham no céu!

O véu da ignorância cobriu o meu rosto
Nada ouvi
Nada escutei
Mas de uma coisa ainda sei
E sempre saberei!
Eis a eterna certeza...
Um dia eu te amei!

Te amei, te amei, e te amei
O doce mais perfeito...
Que um dia eu já provei!
Amarei, amarei, te amarei
O maior amor do mundo...
Em ti eu encontrei!

Descobri, ó, minha amada
Descobri de madrugada...
Num lapso travesso de um segundo
Percebi que és a melhor mulher do mundo

Nada supera o teu jeito de ser
Nem estrelas! Nem os anjos
Nem o delírio do prazer.

Quero amanhecer ao teu lado
Estirado sobre a cama.
Ouvir a tua voz em meu ouvido...
Me dizendo que me ama!

Sentir o lençol amassado...
Sobre minha pele nua
Vestígios de uma noite de prazer...
aclamada pela lua.

Tua boca...
É mais do que prazer!
Teu corpo...
É mais do que prazer!
Teu calor...
É mais do que prazer!
Tu és o complemento de todo o meu ser.

Como saber se posso ser assim tão bem amado?
Talvez nem tanto assim...
Pois meu amor é exagerado.

Ser ou não ser?
Eis o dilema de um apaixonado.

Um comentário:

  1. O que falar de um poema perfeito?!
    As rimas, a sonoridade das palavras, o ritmo.Surge uma perfeita canção.
    Maravilhoso!!!

    ResponderExcluir

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog