quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

036 - A loucura de Giovanni



Ó brilho esgueirado em nostalgia
Dance comigo, ó, Suzana!
Minha alegria!

Requebra teu corpo em dimensão paralela
No sétimo convexo entre a luz e a tua janela
Ó, parâmetro existencial absorto em meu interior
Retorna, por favor, o estabilizar do ego meu
Os sonhos refletem minha singularidade
e a saudades do triste do teu Adeus.

Para um lado, para o outro!
Dance, pois, comigo!
Nem passado, nem agora
Sou mais que teu amigo!

Mas não!
Conheci Miréla e agora já não sei
Será ela a trepadeira que tanto eu esperei?
Ó, minha Suzana!
Peço-lhe meu perdão
Ela e tu dividem meu pobre coração.

Atenção!
Vem Pietro atrapalhar!
Ah, eu vou lhe matar!
Vem Pietro atrapalhar!
Ah! Eu vou lhe matar!

Mostrá-lo-ei a minha boa pessoa
Com quantos paus, ó, Pietro...
Se faz uma canoa?

É boa! É boa!
Boa! Muito boa!
Vamos navegar juntos na lagoa!

Miréla, Suzana, Pietro
Vem comigo!
Lá vem o irmão de Glório!
O demônio, o perigo!

Ó, meu amigo!
Meu amigo vem
Da realidade já passei
Estou muito mais além.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog