quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

033 - O sofrimento de Miréla



Ó, vida amargurada
Sou espancada, assim, em vão
Torturada sem razão
Seria até melhor...
Se me parasse o coração!

Coração que bate...
E bate...
Num ritmo perfeito!
Que bate...
E bate...
Que bate no meu peito!

Eu quero ser livre!
Diga-me o jeito!
Quero sumir! Eternamente!
Meu corpo, alma, e espírito...
Desfalecem de doentes.

Fagulha de alegria
Quero-te agora!
Leva-me contigo!
Eu quero ir embora!

Sim! Eu quero ir agora!

Um comentário:

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog