quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

025 - Tudo em minha vida



Meu Pai!
Meu Senhor!
Amado Deus Consolador
Olhai para o meu mundo
Pois nele reside uma paixão!

Miserável homem que sou
Foi-se de mim a noção
Enquanto o mundo chora o que passou
Eu perco a minha razão!

Meu coração, meu Deus!
Ó, Papai! Ó, amigo
Tu sabes meu Senhor o quanto me afligi este perigo

Perigo! Perigo!
Esta paixão virou magia
Perigo! Sim!
Eis um Perigo
Venho desfalecendo nos horizontes da idolatria!

Uma magia me domou?
Um feitiço me envolveu?
Um cupido me flechou?
O universo estremeceu?
Não sei!
Mas nunca deixarei de clamar a ti
Ó, glorificado Rei!

Vem em meu socorro
Ó! Meu Escudeiro
Livrai-me da magia
Pois ela provém da escuridão!
Livra-me do poder do feiticeiro
Ó! Meu Escudeiro
Estou em Tuas Mãos

Em tuas mãos quero viver
E por Ti me apaixonar
Em tuas mãos aprenderei...
A maneira de se amar!

Põe saúde em meu sentimento
Que ao guiar dos ventos...
 Eu encontre alguma luz
Esclarece, pois, meu humilde entendimento
Pois creio no momento...
Não agüentar com esta cruz!

Entre a fé e a paixão!
Não!
Vejo-me perdido
Quem ouvirá os clamores deste insano enlouquecido?

Ó, meu Deus!
Como é forte a carne em mim
São como flores no jardim de minha imaginação
Insana, profana, e leviana
Bruta e intensa! Covarde tentação!

A canção que há tempos tocava pelos corredores da igreja
Perdeu-se na peleja contra o furor do passar dos anos
Mas eu me lembro do quão sincero eu cantava
Enquanto ela ainda não estava...
Tão princesa em meus planos.

Enquanto amamos a visão é turva e abstrata
Mas que pessoa ingrata sou eu neste agir
Ensina-me a amar-te a cada dia mais
E assim faz com que eu não precise mais fingir

Quem em Teu fluir Tu me conduzas!
Na entrada e na saída
Que eu viva na certeza...
De que es tudo em minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog