sábado, 9 de outubro de 2010

022 - Crítica de Filme: As Melhores Coisas do Mundo

Excelente!
O filme conta a história de dois irmãos, "Mano" (Francisco Miguez) e "Pedro" (Fiuk); jovens colegiais, que se deparam com o drama da separação dos pais pelo motivo de homossexualismo do lado masculino. Segue então, o drama social vivido pelos irmãos no colégio por este motivo, e mais alguns outros, os quais são muitissimos comuns entre os adolescentes.

O protagonista "Mano", é um adolescente apaixonado por uma linda loira, popular dentre o colégio. Mas o estilo do garoto é arrojado, tranquilo, tímido; muito oposto ao dela. Fato este, ignroado por ele. Coisa esta que lhe causa um certo sofrimento.
E o ironico deste caso é que aquela sua eterna e simples "amiga" Carol (Gabriela Rocha), na verdade sempre foi a que mais combinou com ele; fato que eles descobrem no fim da história.

"Se algo não está certo você deve descobrir na onde está errando!".
Certamente esta é a frase mais edificante do filme, dita pelo professor de violão de Mano, "Marcelo" (Paulo Vihena). Ora, quando estamos errando ficamos tão preocupados com este erro que não paramos para pensar os fundamentos que nos levaram a ele!
O erro nos torna ignorantes! Um ponto filosófico muito interessante.

Em suma; o filme é geniosamente dirigido por Laís Bodanzky, a qual, através de muitas pesquisas e convívio com jovens colegiais, desenvolveu esta obra "extremamente" fidedigna ao universo adolescente dos dias de hoje. Tão fidedigna que chega até a assustar, tamanha a veracidade.

Os filmes americanos podem ter mais qualidade na filmagem, mas filmes nacionais como este mostram que nós brasileiros sabemos retratar muito melhor uma história.
Uma obra digna de aplausos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog