sexta-feira, 8 de outubro de 2010

021 - Minha Carioca (Flores Mortas no Jardim)


Estou preso a fantasias! Paralisado por inteiro
Amando uma carioca! Paraíso! Rio de Janeiro!
Do tocar dos meus dedos nas teclas de um teclado
Eu encontrei lá longe uma preciosidade!
Uma doçura!

Mesmo distante! Ela é uma carioca!
Linda! Uma loucura!

Ela é a menina que vem e que passa
Num doce balanço a caminho do mar
Do corpo divino! Da cor do pecado
Eu a quero de noite além do luar.
Menina da areia! Menina do mar
Ela é a sereia que vai me levar...
Aos ocultos caminho do amor.

Jovem carioca! Ganhou por inteiro o meu coração
Tem o calor no olhar! O fervor da sedução!
É meu amor! Meu doce encanto de magia
É paixão distante que transmite a alegria!
De noite... Caminhe para Copacabana
Vá até a escuridão das águas do mar
E lá no fundo você ouvirá...
Estarei chamando por você!

Vamos amor! Minha doce carioca!
Subamos alto, ao Cristo Redentor
Vamos eternizar em beijos...
As alegrias deste amor

Beije-me como se beijam as estrelas do cinema!
Vamos rolar nas areias das praias de Ipanema

Campo Grande! Rio de Janeiro! Seja agora ou quando for!
Campo Grande! Rio de Janeiro! Cuida bem do meu amor
Quero ser teu minha carioca! Corpo lindo! Tentação!
Quero ir ai te ver desfilando a perfeição

Quero ser só teu! Quero me entregar por inteiro
Nos amaremos nas noites... Do Rio de Janeiro.


*Poema integrante do livro "Flores Mortas no Jardim" - Adrian Mcoy


Um comentário:

  1. -Obrigado meu amoor! Você cada dia me encanta mais! Parabéens por esse talento lindo que Deus te concedeeeu! Eu e o Riio de esperamoos de braçoos apertos (iguais a do criisto) rS.
    Tambéem te amo demaiiis

    ResponderExcluir

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog