quarta-feira, 29 de setembro de 2010

015 - Você ouvia Green Day...



Você está vendo!
Você já está sentindo!
Você está percebendo!
O teu coração está pedindo!

Ele pede para que você pare com sua brincadeira! Ele implora para que você seja livre, mais uma vez.
Livre como você era! Naquele tempo que nós dois eramos felizes.

Lembra daqueles tempos? Os tempos da inocência?

No clube da cidade nós nos beijamos! Na porta de sua casa nós nos abraçamos!
Numa chácara na represa nós duscutimos. Alí nós terminamos!
A vida parece ter parado alí, naqueles dias! Eu ainda ouço os muitos jovens sorrindo e gritando perto de mim.
Ainda vejo você me doando seu desprezo. Mas mesmo assim, de alguma forma, o tempo parou naqueles dias.

Eu ainda não tenho fortunas para te dar! Não tenho o luxo que você merece!
Tudo o que eu tenho é um coração... Um coração completamente apaixonado por você!
Este é um amor que o tempo não apagou! Paixão que adoça minha vida!
A distância não dizimou; e nem ainda sarou esta minha ferida.
Ferida aberta que sangra a saudades!
Ferida que não dói, mas que me faz perceber que eu ainda vivo!
A única coisa em mim que resta de ti! É esta ferida!
Meu sangue ainda se derrama! Por ti... Minha doce varoa querida!

Não esconda!
Sei que no fundo tu me amas...
Mas uma nuvem sombria parece cegá-la de maneira que você não cosegue enxergar isto!
Eu estou aqui! Eu sempre estive aqui! Esperando por você!
Quem sabe deste meu louco amor pensa que sou um maluco! Obcecado!
Talvez eu seja! Um louco e obcecado por ti!
Mas isto me faz bem!
Isto não é doença!
Os nosso poucos dias se eternisaram na estrutura de minhas alegrias!
Encontro saúde ao me lembrar deles!

Você não ama o silencio e nem a tranquilidade! O que você está fazendo ai?
Você ama a inteligência e o fogo! Você ama aquilo que eu não tive tempo para te dar.

Dou-te a minha palavra que tu serias princesa em minha vida!
Te trataria com a mais fina nobresa!
Dou-te a minha palavra que tu serias meu cálice de cristal!
Te tomaria nas mãos com o maior cuidado do mundo!
Provaria do teu vinho embriagante, e seguiria sem rumo a delirar sobre as estrelas!
Me perderia em minhas fantasias!
Todas elas... Inspiradas por você!
Minha palavra eu te dou, pois nada disso é apenas um pensamento...
É uma certesa!
Eu te conheci alí nos bancos! Você comprou gelinho na lanchonete alí por perto!
Você ouvia Green Day...
E eu acho que você se lembra:
- Não era para você estar lá naquela noite!
Entendeu não é?

Mas lá você estava! Tudo conspirou para nós!
E tudo vai sempre conspirar!
Sempre nós poderemos nos distanciar, mas sempre nos tornaremos a nos ver!

Sempre será assim!
Você... Para sempre... Dentro de mim!


*Poema integrante do livro "Flores Mortas no Jardim" - Adrian Mcoy



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique aqui e comente!

Pesquisar neste blog